Gineterapia

"Confiar em nosso instinto, em nossa intuição. Aprender a bendizer e prosperar, a gestar e dar a luz em todos os planos, restabelecendo a harmonia com o ritmo das estrelas. Recuperar a Chave do Tempo e aceitar ser criadoras da própria realidade."

Gineterapia

 

Nossa Missão

Entendemos por Cuidado da Mulher, não só o cuidado dos seres femininos da espécie humana, mas o cuidado da Vida Toda, do “jeito” em que a mulher cuida, o que nas culturas nativas americanas é chamado “medicina doce” (sweet medicine) ou “medicina da mulher”, uma arte de Cuidar do Ser eminentemente preventiva capaz de fazer também a leitura dos múltiplos sentidos da enfermidade, já que o sintoma pode ser compreendido como uma resposta da inteligência profunda do organismo, que denuncia uma contradição ou um desvio existencial.     

 

Buscamos com a Gineterapia resposta efetiva, sobretudo pela ressignificação do conceito de terapia como uma arte de cuidado integral, aplicada à ecologia individual, social e ambiental, propondo uma redefinição atitudinal global, uma nova maneira de estar no mundo.           

 

Nessa nova ordem nós, mulheres, precisamos recuperar nossa integridade, mergulhar nas profundezas do nosso próprio ser, para nos ligar com a raiz do nosso gênero criando um movimento maciço de recuperação humana, em que estamos fazendo as vezes de canais de transmissão de uma força restauradora e regenerativa, nos tornando conscientes de nosso lugar na vanguarda do processo de Transformação Planetária para assumir a missão de criadoras, cuidadoras e pacificadoras nas áreas específicas de atuação de cada uma.                                                                                                                                           

Nossa Visão

A OMS salienta que a saúde não é um mero estado de ausência de doenças, trata-se de um estado de bem-estar psicossomático, social, ambiental e espiritual.

Novas disfunções continuam aparecendo, e com elas novas especializações e medicamentos que “curam as partes” e dão por resultado pessoas fragmentadas, mutiladas e desconectadas de sua essência. 

Tem aumentado também a violência social e doméstica, a exploração sexual de crianças e adolescentes, o índice de depressão e a quantidade de desequilíbrios ocasionados por uma alimentação cada vez mais inadequada, estresse, sexualidade compulsiva e outras questões que podemos resumir como falta de Cuidado Integral das necessidades básicas da vida.

Em nossa visão, essa carência parte do desequilíbrio de valores da nossa cultura que exaltam o masculino em todas as ordens.

A descoberta dos anticoncepcionais e o rápido progresso da tecnologia doméstica, desde a Segunda Guerra Mundial, tiveram um enorme impacto sobre a vida das mulheres. Durante as duas décadas seguintes, a liberdade de escolher a gravidez e cortar o tempo gasto no trabalho doméstico levaram as mulheres para o mundo dos homens.

Gradualmente começaram a desvalorizar a vida do lar e a maternidade, apesar das suas necessidades instintivas, transmitindo esta rejeição para suas filhas. 

A educação para ambos os sexos se transformou no ensino de qualificações com base em aptidões científicas e racionais. Intuição, sentimento, subjetividade, capacidade de se relacionar, reações emocionais e outros traços associados com o feminino foram reprimidos e desvalorizados muitas jovens chegaram a agir como homens, medindo sua autoestima e valorização de acordo com os padrões masculinos de produtividade.

O preço do sucesso no mundo masculino foi a separação do corpo, das emoções e da natureza, a perda do centro de poder e da ligação adequada com as forças que podem nutrir o eu feminino.

O planeta está doente. É a hora de entender que a carência dos valores femininos e a repressão do poder da mulher descompensaram a sociedade e o Planeta, sinalando a necessidade de uma efetiva colaboração entre ambos os sexos, que respeitem igualmente suas capacidades diferentes.

Gineterapia