Viva a Vagina

Você acha que conhece seu corpo?


Conhece mesmo, de verdade?


Bem, eu sugiro que você reveja essa afirmação se você não sabe tudo sobre a sua vagina!




A proposta do Viva a Vagina é justamente te apresentar a esta parte do corpo ainda cheia de tabu e crenças. As estudantes de medicina e educadoras sexuais Nina Brochmann e Ellen Støkken Dahl utilizam seus conhecimentos médicos e muito bom humor, para falar sobre orgasmo feminino, os hormônios menstruais, métodos contraceptivos e como melhorar sua vida sexual!


Então siga aqui no artigo para você aprender mais sobre você!


Aprendendo sobre nosso corpo

Durante muito tempo, tudo que a humanidade criou, pesquisou e descobriu foi de homens para homens, com as mulheres fora das universidades, muito do que se sabe sobre o corpo feminino foi descoberto por homens, o que gerou muitas crenças erradas perpetuadas até hoje.


Mas de um tempo para cá vamos recuperando nosso espaço, vamos resgatando nosso lugar no mundo e claro, vamos fazendo história, psicologia, biologia e tudo que mais precisar, de mulheres para mulheres.


Este livro é mais uma pedrinha neste longo caminho de autoconhecimento e descoberta que nós mulheres estamos fazendo.


Nina e Ellen escreveram este livro para incentivar as mulheres e se conhecerem e serem donas dos seus corpos. Elas trazem fatos históricos para mostrar como existe muito ainda por estudar sobre o corpo feminino e como há um desinteresse pelos médicos em geral.


“É escandaloso que a profissão médica tenha demonstrado tão pouco interesse numa estrutura que, na pior das hipóteses, pode significar a perda da honra ou da vida para mulheres até hoje. Um agravante ainda maior é o fato de que as informações disponíveis não chegam a quem precise delas. Nesse sentido, temos todas um trabalho importante a fazer. É hora de arregaçar as mangas."


As autoras defendem que, uma mulher se empodera quando conhece seu corpo a fundo e elas trazem bem explicadinho nas 344 páginas informações sobre Anatomia do corpo feminino, mitos sobre virgindade, fala sobre métodos contraceptivos, explica sobre os efeitos colaterais dos métodos hormonais, fala sobre menstruação, sobre doenças sexualmente transmissíveis, distúrbios menstruais, incontinência urinária e muito mais, com ilustrações explicativas e engraçadas.




As autoras reafirmam a importância de difundir o conhecimento sobre o corpo feminino, a fim de que o mundo conheça nossos desafios e assim a saúde feminina receba a importância que merece, pois as pesquisas voltadas para esta área são minoria no mundo da medicina e isso contribui para a ignorância a respeito do sistema reprodutivo feminino e da própria mulher como ser humano.


Quebrando Tabus sobre Orgasmos e Sexualidade Feminina

O prazer da mulher sempre foi um tabu gigantesco, talvez o maior de todos. Tanto que as religiões ocidentais se esmeraram muito para criar alegorias que sustentam o quanto o corpo feminino é o abrigo do pecado.


No Viva a Vagina as autoras falam sobre isso. Começando com uma aula de como bebês são feitos, pode parecer básico para muitas de nós, mas sabemos como a educação sexual é algo mal trabalhado em nossa sociedade.


Mas mesmo para quem já sabe bem do assunto, há algumas curiosidades interessantes, como o tempo que o espermatozóide demora para chegar ao óvulo e penetrá-lo. Ou como anatomicamente uma vagina não é assim tão diferente de um pênis (pois é foi uma descoberta para mim também!)


“É a melhor e a pior coisa que pode nos acontecer, dependendo do momento em que estamos na vida. Portanto pode parecer estranho escrever uma seção sobre gravidez que seja destinada a todas, mas na verdade é bem simples. O conhecimento sobre como engravidamos é o melhor remédio tanto para quem quer prevenir a gravidez quanto para quem quer um filho. "


Elas também desmistificam os tipos de orgasmo e nos contam como nossa visão sobre ele é maculada por filmes pornôs e literatura eróticas.


“o fato de mulheres se queixarem de nunca terem conseguido um ‘orgasmo vaginal’ mostra como a compreensão da sexualidade feminina tem sido definida pelas necessidades do homem através dos tempos“.


Elas falam também sobre a importância dada à virgindade e porque isso é um mito (extremamente patriarcal né minha filha!)

Em diversas culturas ela é símbolo de pureza. O Hímen é vislumbrado como um prêmio a ser dado a um amor épico, e somente a ele, sob pena a mulher ser condenada como imoral. Muitas foram as narrativas elaboradas para podar a liberdade feminina.




Os diversos métodos contraceptivos


Como nos protegermos para evitar uma gravidez indesejada é muito bem explicado no livro.

As autoras falam de métodos hormonais, métodos não hormonais, sobre contraceptivos de emergência e também fala sobre aborto.


Um dos capítulos é sobre a apologia aos métodos hormonais e sobre alguns efeitos colaterais que nos fazem ficar na dúvida sobre estes métodos. Elas explicam também que os métodos hormonais não são extremamente perigosos como muito se vê na internet, o que eles fazem, na verdade, é enviar uma mensagem ao cérebro de que você está passando por uma gravidez fictícia.


Para nós, que buscamos uma conexão com nosso ciclo menstrual, que desejamos nos conectar com as 4 fases, os contraceptivos hormonais não são legais. Mas é preciso desmentir alguns artigos que rodam pela internet.


"É importante para nós abrandar o alarmismo que tem se difundido. A mídia às vezes dá a impressão de que não conhecemos os efeitos colaterais associados aos contraceptivos hormonais, como se jogássemos roleta-russa com a saúde das jovens. Esse não é o caso. Você pode ter certeza de que a caixinha de comprimidos que você compra na farmácia contém um dos medicamentos mais estudados do mundo. "


E elas ainda completam que, para uma mulher com tendência à trombose, uma gravidez seria ainda mais perigosa para sua saúde que o anticoncepcional.


Falando sobre Aborto


A Nina e a Ellen, falam também sobre o aborto, segundo elas "deveria ser escolha da mulher assumir ou não esses encargos, já que recaem sobre ela em tão grande medida. Não existe qualquer outra área política em que achamos tudo bem impor a um cidadão um custo pessoal tão alto para satisfazer as normas morais da sociedade como fazemos ao impor a uma mulher a gestação de uma criança contra sua vontade. "


É um trecho pequeno, no entanto esclarecedor, elas explicam como os países que descriminalizaram o aborto ele diminui de ano para ano, isto porque se investe mais em informações para as mulheres.


É uma leitura gostosa, leve e divertida, sem contar que, é muito bom ter tantas informações em um único lugar. É empoderador e apesar de ser feito de mulheres para mulheres é uma ótima leitura também para os rapazes.


Pensar nas coisas que faltam em nós mesmas tende a consumir nossa atenção. Você não é obrigada a ter uma performance ou fazer certo tipo de sexo só porque os outros esperam isso de você. O mais importante é que aprenda a sentir prazer consigo mesma e seu corpo, do jeito que você é, tanto sozinha quanto com um ou mais parceiros. Nem todo mundo é igual e vai conseguir tudo. No final das contas, o corpo é apenas um corpo, mas é o único que você terá, por isso é muito valioso”



por Thalita Ferreira

@Divinaancestral


Escrito em Litha, Lua Nova, Porto (Portugal)


19 visualizações