Festival de YULE


Altar de Yule



Tempo de renovação de cura interna e o despertar da magia.



Quando celebrar Yule?

Yule é celebrado por volta do dia 19 a 21 de junho no Hemisfério Sul e 19 a 21 de dezembro no Hemisfério norte é o festival da roda do ano que marca o solstício de inverno e a entrada no signo de câncer, é o primeiro festival da roda do ano, sendo o oposto do festival de Litha que marca a entrada do Solstício de Verão e o ponto de maior potência da luz do ano.


Se no hemisfério norte eles estão vivenciando a força da luz, aqui no hemisfério sul, vivenciamos a esperança do retorno dessa luz na noite mais longa do ano.


Percebemos a terra se esfriando, as plantas secando, nossa pele ficando acinzentada e pálida e os animais sintonizados com o relógio biológico da terra, indo dormir o sono da beleza, sentindo que o momento é de tranquilidade e de descanso.

Aspecto da Deusa


A Deusa aqui é representada parindo a criança prometida, como a esperança do retorno da luz, bem como a ativação dos portais, das novas ideias, projetos e construção do futuro, conhecemos uma história assim, de uma criança prometida nascida no solstício de inverno como a esperança da sabedoria do amor para humanidade, consegue lembrar? Depois me conta nos comentários.




História de Yule


Deste festival, que originou-se o Natal, das tradições nórdicas e celta, e também com a Saturnália dos romanos com trocas de presentes e muita festa. Sendo que cada um deles tinham sua própria forma de celebrar .


A lenda druida nos conta sobre uma luta entre os irmão gêmeos Reis de Litha e Yule, Azevinho regente da parte escura da roda do ano de Litha a Yule e o Rei do Carvalho regente da parte clara da roda do ano Yule a Litha.




Neste combate saindo como vencedor a parte luminosa do ano o Rei do Carvalho ganhando então a esperança da luz, vencendo com sabedoria e expansão a ignorância e aridez da escuridão, resgatamos novamente o poder da vida, das plantas, da terra e da magia que habita entre nós.


Nesta época os sacerdotes colhiam a planta sagrada Visco Branco e a cortavam com foices de ouro e faziam alquimias de cura e poder, além de amuletos sagrados que eram oferecidos ao participante, sendo essa planta um dos símbolos do Natal


Visco branco


Quando voltamos nossa atenção para os ritmos da terra, reconhecemos nossos próprios ritmos internos e então nos aceitamos como somos cíclicas.

Como posso me conectar com a energia de Yule?



  • Decorando pinheiros com oferendas para a natureza e os espíritos que nela habita, com bolas coloridas pintadas manualmente com símbolos da natureza e no topo da árvore um pentagrama (esse costume que deu origem a árvore de natal em XVI e o nosso papai noel, nada mais era que o Xamã da tribo sendo levado por renas com auxílio de poções de cura as pessoas que necessitava).


  • Colhendo ervas sagradas e confeccionando travesseiros de ervas e amuletos de proteção, para ter durante o ano em sua cozinha e na sua cama.


  • Decorando uma tora de carvalho com fitas coloridas de vermelho, verde e dourado, colocando três velas, sendo duas verdes simbolizando o Deus e uma vermelha no centro simbolizando a Deusa, esse tronco irá permanecer na sua casa até o próximo festival de yule, onde você irá queimá-lo simbolizando o renascimento.

  • Reconstruindo sua árvore genealógica, saber as histórias de seus ancestrais, conhecer mais a fundo parte de sua família ancestral que estão sendo esquecidas com o tempo.

  • Começando um livro dos sonhos para te ajudar a se manter conectada com sua ancestralidade, registrando ali todos os sussurros da abuelitas.








Outros símbolos deste Festival de Yule, que você pode usar para montar seu altar e decorar sua casa .


  • Pinheiro

  • Carvalho

  • Guirlanda de pinha

  • Velas verdes, vermelhas e douradas

  • Folhas de louro, azevinho, visco e hera

  • Flores frescas e secas

  • Nozes

  • Sinos

  • Fitas coloridas

  • Galho de pinheiro e Cedro


As pedras sagradas são:

Granada, esmeralda, rubi, diamante e cristal de rocha



Os incenso e essências são:

Louro, carvalho, Junípero, pinheiro,

alecrim, sândalo e canela




Deusas e Deuses do Festival

Nossa Senhora do Desterro, Attis, Baldur, Jesus, Dioniso, Frey, Horus, Lugh, Mabon, Mithra, Osíris, quectzalcoatl, Ra, Surya e Tammuz e as deusas Amaterasu, Arinna, Bast, Bertha, Grianne, Lucina e Sunna.


O elemento é a Terra e a Direção é Norte



Ritual de Yule, você precisará de


  • Tora de carvalho (ou alguma madeira)

  • Duas velas verdes e uma vermelha

  • Um caderno (livro das sombras - grimório)

  • Peças de decoração de bruxas, fadas, deusas

  • Pesquisa sobre as suas avós

  • Uma muda de alecrim


Antes de fazer seu ritual, prepare seu altar com bastante concentração utilizando de sua intuição para decorar um cantinho bem especial da sua casa, você pode usar os símbolos de Yule que já comentei acima.


  • Com seu altar pronto, reserve um horário onde você estará tranquila e poderá desfrutar de uma boa caneca de chá e a companhia de você mesma, decore seu caderno para ser seu grimório, seu livro das sombras e nele comece a escrever sua árvore genealógica, você não precisa terminar sua árvore neste dia, mas tenha os nomes de suas avós e bisavós para começar sua pesquisa, escreva como você está se sentindo neste inverno, quais foram suas dificuldades pessoais, sentimentais e financeiras.




  • Em outra folha, escreve exatamente como você gostaria que seu futuro fosse, descreva com detalhes e faça desenhos coloridos.



  • Após o encantamento de imaginar seu futuro coloque seu grimório em seu altar de Yule, separe a tora de carvalho com as velas e faça um rezo para o Deus e acenda as duas velas verdes, depois acenda a vela vermelha para a Deusa e faça um agradecimento de tudo que você desejou no seu grimório como se já estivesse acontecendo, sentindo a felicidade em seu coração em realizar todos seus sonhos. Deixe as velas queimar durante todo o dia e enquanto isso.


  • Neste mesmo dia plante uma muda de alecrim que irá te acompanhar durante todo ao ano, e só utilize ela no próximo festival de Yule.


Iremos utilizar essa plantinha de alecrim em outros festivais da roda do ano, regue ela todos os dias como se estivesse regando seus próprios sonhos.




Arquétipo da Deusa Xamã




No Festival da Deusa trazemos o arquétipo da Deusa Xamã, para nos confortar no frio do inverno, em conexão com Yule, que nos convida a voltar ao nosso interior, e a entrada na caverna de nossa alma, sentindo o chamado das nossas anciãs…


Nós permitimos a receber as orientações de nossa ancestralidade, de nossas medicinas interna, de tudo aquilo que nos foi deixado por nossa linguagem materna e paterna, do doce beijo das avós, nas histórias que aqueceram nossa imaginação quando crianças, e aquele cheiro da sopa mágica que levantava qualquer um da cama e curava toda dor do copo e do coração.


Carregamos dentro de nós, a força e magia de nossas ancestrais, de toda medicina que um dia foi desenvolvida, compartilhada ou perdida. Em Yule pedimos a Deusa Xamã o retorno de nossas magias, para que possamos abraçar novamente nossa avós enquanto cozinhamos, organizamos nossa caverninha e cuidados de nossas plantas. Para desenvolvermos nossa própria magia, do nosso próprio jeitinho de ser.


E no frio do inverno que deixamos o corpo descansar para a mente e o espírito se conectarem com missões de alma que iremos enfrentar neste novo ciclo, mas de que forma podemos descansar o corpo e nos conectar com nossa alma? Neste momento nos conectamos com nossa Xamã que amorosamente sopra em nossos ouvidos a terapia certa para elevar nossa frequência, curar nosso corpo e acalmar a alma.


Minha Xamã uma vez me disse:

  • A verdadeira cura vem pela boca, de tudo que sai dela, e principalmente das coisas boas que entram por ela.


Como ela tinha razão não existe magia maior do que o ato de bendizer, de falar com o coração e abençoar nossa comida, e nosso corpo.


Compartilho com vocês uma das formas de ativar a Xamã dentro de nós, e tenho certeza de que será bem gostoso para todes vocês.


  1. Cozinhe para você, faça disso um ritual, coloque uma música gostosa que aquece seu coração e cure sua menina se divertindo na cozinha dançando na presença espiritual de suas avós

  2. Utilize temperos naturais, e macere as ervas, as sementes, e ao finalizar, sinta o aromas de cada elemento sagrado que está atuando como agente de medicina em sua alimentação.

  3. Prefira alimentos cozidos e quentinhos, que ajudará sua digestão, deixando que seu corpo se esforce menos.

  4. Faça um dieta em cereais integrais, e os coloque de molho um dia antes de seu cozimento.

  5. Plante ervas de poder e as utilize em sua cozinha.


Essas foram algumas dicas para você se conectar com suas avós, sua ancestralidade, as mulheres que vieram antes, e nada melhor do que a cozinha para esse grande encontro.


Procure saber qual era o prato favorito de suas avós, se elas cozinhavam, se usava pilão e tente reproduzir alguma receita que te levará para bem pertinho dela.


Envie a história da receita preferida da sua avó, com fotos e vídeos de seus pratos cheios de energia de suas ancestrais, para nosso site Gineterapiasite@gmail.com que iremos utilizá-la aqui nesta matéria.


Referências O Anúario da Grande Mãe - Mirella Faur e Festival da Deusa


Escrito pela colaboradora Claudiane Pires

Em Florianópolis - Brasil

Lua crescente em Capricórnio

Yule HS - Litha HN

28 visualizações