INICIAÇÃO NOS MISTÉRIOS FEMININOS

Atualizado: Abr 17

As provas e desafios que levam  à mulher ao desenvolvimento pleno de seus poderes.Os Mistérios  Femininos são os Mistérios do Corpo e do Sangue da Mulher, os Mistérios da Mãe e da Filha  celebrados desde tempos muito antigos.Revelam a  passagem através das diferentes  fases da vida feminina e sua conexão com  os ciclos  cósmicos. 

FOTO - Peregrinação gineterapia 2019


Já eram celebrados no Paleolítico Superior há 35.000 anos,  pelas  sacerdotisas e xamãs,  segundo mostram as  pinturas que ainda se conservam nas cavernas.Estes eram também os Mistérios de Ísis no Egito e os famosos Mistérios de Elêusis. Nascimento, menstruação, gestação, climatério, morte e renascimento.

As aspirantes passavam um tempo dentro do útero  terrestre; cavernas, templos, pirâmides ou as Kivas da América Nativa, revivendo o período de gestação para renascer num nível de consciência cada vez maior. Assim, aprendiam a curar, a desenvolver a visão, o dom  de profecia, a comunicação com  seres sutis como  fadas, gnomos e anjos e a  receber a guia  dos antepassados, das Deusas e Deuses,   das Estrelas, Constelações e Galáxias. 

Posteriormente  estes Mistérios foram substituídos pelos Mistérios do Pai e do Corpo e o Sangue do Filho, e, durante a Inquisição, destruídos nas fogueiras. Após o término das perseguições, chegou à era da descrença do século XVIII. 

Tão grande foi o medo, que a maioria das mulheres tentaram adormecer seus poderes, apagar  a intuição e a visão e esquecer  os sonhos, porque isso era ‘’coisa do demônio‘’. Aceitaram ser culpadas pelas desgraças da humanidade e, especialmente, por sentir prazer através do sexo e da gestação. As antigas receitas que ajudavam a mulher a atravessar com consciência e plenitude pelas transformações da vida  foram destruídas e até desvalorizadas pelas próprias herdeiras da Tradição.

Mas a  Roda da Vida  continua  girando e a Deusa volta, através de sonhos e insights revelando seus segredos para as mulheres de hoje. Algumas Escolas de Mistérios -que sobreviveram na clandestinidade - reaparecem  permitindo às aspirantes confirmar e direcionar suas experiências. 

O conhecimento que nelas se recebe não é teórico ou intelectual, é o desenvolvimento pleno em todos os níveis. Também   chamado Caminho de volta ao Lar ou Caminho de Iniciação, nele se apresentam as provas e desafios através dos quais  a  mulher comum começa a descoberta dos seus próprios poderes.

Quem encara a caminhada é a mulher insatisfeita  com a vida que está  levando e que sente a força de um novo Eu  emergindo, mas ainda sem forma. Morrendo de medo ou isolada, em certas  ocasiões,   sente seu próprio mundo quebrar-se. O corpo dói, mas é através dessa  dor que se manifesta como um instrumento superconsciente conectado com a alma.      

Às vezes um acontecimento inesperado como doença, divórcio, perda de emprego, precipitam a busca. Ali começa  o Caminho da Peregrina, ainda confusa, mas determinada na procura da sua identidade feminina,  seu verdadeiro centro de poder. 

O lugar que ela busca está numa dimensão sutil, numa Ilha Sagrada, assim como Avalon,   Shamballa e algumas outras, nas quais o mundo conhecido e o ‘’outro mundo‘’ se sobrepõem. Para  entrar  temos que atravessar uma porta  dimensional oculta pelas brumas. 

A Chave é um tesouro que a aspirante  demora muito tempo para encontrar. Exige um preparo intenso e laborioso, pureza de coração e amor e respeito pela Natureza. Muitas vezes a chave é entregue por uma outra irmã de caminhada,    uma sacerdotisa ou uma  Deusa. 

A  guia iniciadora é uma parteira da alma, é quem nos dá a  mão para efetuar  a  transição. No primeiro  nível  também  chamado  Iniciação Lunar, o  poder  dos 4 portais e as 4 fases da Deusa é revelado e desenvolvido. 

Então, ela é aceita na Escola de Sacerdotisas  e convidada a participar dos Mistérios  Maiores,   também  chamada Iniciação Solar. .A Sacerdotisa é a mulher que sente o chamado do corpo planetário  e aprende a afinar suas energias para canalizar conscientemente as forças universais em beneficio da vida toda. 

Desenvolve um trabalho circular,   altruísta e solidário, fazendo parte de um grupo de apoio (coven). Nos Grandes Festivais, estes grupos se reúnem para comemorar  os encontros das Grandes  Forças Cósmicas e distribuir estas energias  para  formar entre todos uma Rede de Luz. 

No centro do Mistério, a  Sacerdotisa  é a ponte entre  o  Reino Humano e o Divino  e o vaso onde se processa  a alquimia. Ela terminará esta fase como uma Grande Sacerdotisa, preparada para atravessar o último véu  que a transformará  numa  Deusa. 

Isto não é uma imagem simbólica ou uma metáfora poética, é um  processo  real de conversão  da energia que  conduz  à  formação de um corpo sutil, o  Corpo  de Luz. Com ele  Maria  ascendeu  aos  Céus  e, como Ela,   tantas outras e outros  iluminados  se  manifestaram através dos tempos para todos os povos.

21 visualizações