Celebro a união do feminino e masculino que habita em mim.

Beltane chegou e com ele o sentimento de pertencimento, amor, e prazer de estar vivo e de ser quem se é.



Celebração de Beltane - Festival da Deusa 2018


Quando celebrar Beltane?


Este sabbat acontece em 31 de outubro aqui no Brasil, e 01 de maio no hemisfério norte, sendo que no HN eles estão vivenciando Samhain, este dois sabbat são os mais importantes da roda do ano para o povo celta, pois no HN eles estão vivenciando a chegado do Inverno com Samhain e nós do HS estamos vivenciando a chegado do verão e também marcando o fim da estação de plantio da primavera. Sendo este festival de Beltane e o último que passamos Ostara a representação da fertilidade da terra e dos deuses.


Práticas sexuais individuais e em grupos eram realizadas em tempos antigos, como forma de doação e conexão espiritual com o momento de fertilidade, DIGO em tempos antigos, já que hoje vemos nossa sexualidade como algo muito privado e às vezes pecaminoso, devemos relembrar que nos tempos antigos a sexualidade era vista como libertadora tanto do corpo como do espíritos, e todas as religiões exceto o cristianismo, venerava a mulher e o ato sexual sagrado. Mas ainda podemos venerar nossos corpos femininos e também o ato sexual sagrado conosco mesmos e também com nosso parceiro, logo mais falaremos sobre isso em nosso ritual.



Que a benção do prazer chegue para todos e que possamos fertilizar nossos ventres e a terra com o mesmo amor e vibração de quando tocamos o céu.






Beltane, Bealtaine, Bealtuinn, mês de maio, sendo o significado original é ‘Bel-fire’- o fogo do deus celta, variadamente conhecido como Bel, Beli, Balar, Balor ou o Belenus latinizado – nomes que podem ser retrocedidos até o Baal do Oriente Médio, que simplesmente significa ‘Senhor’ , podemos fazer uma comparação de Bel com Cernunnos gaulês-celta. Cernunnos um dos deuses mais antigos de toda nossa mitologia sendo ele a representação da fertilidade, do masculino, observando que no mundo animal é o macho que apresenta o maior chifre e quanto maior o chifre, maior sua magestade e realeza.



De acordo com a escritora Margaret Murray em seu livro "O Deus das Feiticeiras", publicado em 1933 ("The God of The Witches"), quando Roma começou a expandir o seu Império e a registrar os costumes pagãos, chamaram de "Cernunnos" o deus cultuado na Gália (atual França) cujo nome significa "aquele que tem chifres". Ainda de acordo com a doutora Murray, o que tinha valor na Gália também valia para as Ilhas Britânicas e, conforme citam alguma fontes eclesiásticas, o culto ao deus chifrudo era muito comum na Bretanha medieval, assim como vestir-se como um animal selvagem usando chifres (parte de rituais pagãos).


O que era o demônio chifrudo para o cristianismo era o Deus dos animais e da fertilidade que representava o próprio divino masculino.




O nome Cernunnos aparece no Piliers des Nautes, um bloco de pedra que data do primeiro século d.c que pertenceu a um templo gallo-romano da antiga cidade de Lutetia

(atual París). Nela está escrito com letras romanas "Cernvnnos" acima da imagem do deus chifrudo. Algo interessante é que este bloco foi encontrado nas fundações da Catedral de Notre Dame em 1770. Um dos templos antigos de culto a Deusa. Eu mesma tive a grande experiência de estar dentro de Notre Dame antes de ser queimada em 2019 e sentir a energia de séculos de devoção a grande mãe, mesmo sendo hoje maquiada aos padrões patriarcais, é possível se conectar com o fio da história que emana do local .


E Bell era o BRILHANTE, possuía qualidades como o Deus sol, sendo que alguns povos, o Sol era um deus, mas não para os Celtas com seu Sol teria que ser feminino, muito embora Bel/Balor, Oghma, Lugh, e Llew possuíssem atributos solares. Uma oração popular tradicional gaélico-escocesa (vide Miscelânea Céltica, de Kenneth Jackson, item 34) se refere ao Sol como “mãe feliz das estrelas”, se erguendo “como uma jovem rainha em flor” (Para maior evidência de que o calendário ritual dos Celtas pagãos era orientado para o ano da vegetação natural e da criação de gado, e não para o ano solar e a agricultura, vide o Ramo Dourado de Frazer, págs. 828-830).


Ambos arquétipos Bell e Cernunnos podem ser vistos como a representação do grande pai, que neste sabbat vai de encontro a grande mãe e assim os dois ritualisticamente fecundam a terra e entrega sua fertilidade, força e energia para as estações do ano. E estes são os dois temas que dominam o Sabbat de Beltane, também conhecido como festival May Eve/May Day através do folclore celta e britânico: fertilidade e fogo.



História de Beltane


Para representar a fertilidade e o retorno da vida, os povos antigos faziam fogueiras no topo das colinas, anunciando a chegada do sol, verão, vitalidade, poder, tudo que representa a unificação de Deus e a Deusa.


A fogueira representando o sacrifício do Rei carvalho e toda sua energia em pro da estação e da vida, em Roma as virgens vestais, guardiãs do fogo sagrado ( comparada a Héstia na grécia) faziam bonecos de junco e jogavam no rio Tiber na Lua Cheia de maio, simbolizando mesmo sacrifício (do Rei carvalho).



Símbolos de Beltane



Um dos símbolos de Beltane é o Maypole, mastro de maio onde se colocava uma mastro alto de madeira representando o masculino fertilizando a terra, com várias fitas branca e vermelha e ao topo uma coroas de flores para a Rainha de Beltane, casais que buscam harmonia e felicidade em seus relacionamentos e jovens que se iniciavam sua a vida amorosa dançavam entrelaçando as fitas brancas que simbolizam o sémen da vida, a ação do Deus e a fita vermelha simbolizando o sangue e poder da Deusa.


Outro símbolo é a fogueira de Beltane, trazendo a energia da transmutação do fogo e limpeza carnal e espiritual. Todos pulavam a fogueira, casais para atrair

sorte em seus matrimônios, pessoas em busca de uma boa colheita, jovens em busca de um amor, e até o gado era passado pelo que restou da fogueira para garantir um bom leite.


Depois o dançarino mais vigorante e feliz era coroado como Rei junto a mulher mais linda e celebração como Rainha, e então tínhamos os famosos REIS de Maio.


O sino é um símbolo importante de Beltane, pois era de costume tocar o sino toda manhã de Beltane e utilizá-lo em suas roupas e casas para afastar os espíritos malignos.

Mês de maio que era sagrado para o povo celta, pois acreditavam que era o mês do povo das fadas, ajudantes da grande mãe em seu processo de nutrição da terra, então o rei e a rainha representava os próprios deuses encarnados na terra.


E não é atoa que o mês de maio é considerado o mês das noivas ( quando digo maio e, mesmo assim, estamos em outubro é porque inicialmente a roda do ano começou no HN e todas as referências partem dali, mas estamos trazendo a energia do momento para o HS aqui no Brasil, já que nosso despertar do verão é agora em outubro com Beltane e não em maio, pois em maio aqui no HS estamos despertando para o inverno e não para o verão, para compreender melhor leia a matéria sobre o que é a roda do ano aqui LINK DA MATÉRIA ) e muita das noivas de beltane escolhiam fazerem seus votos nesta estação com o famoso Handfasting: uma cerimônia celta onde os noivos atam as mãos com uma fita e fazem seus compromissos de amor e fidelidade, com duração de um ano e um dia, sendo necessário reafirmar os votos no próximo sabbat de Beltane.


Iremos fazer um Handfasting para o casamento conosco mesma, no final deste texto em nosso ritual, vemmm...



Aspectos da deusa


Aqui a Deusa está saindo da face donzela e indo ao encontro de se tornar Rainha do seu próprio ser, do seu lar.


Ela tem sua primeira relação sexual com o Deus que a torna mulher, se iniciando em sua vida sexual, porém o despertar para a vida sexual nem sempre vem de encontro com uma relação com o masculino, muitas donzelas se iniciam sua primeira relação de forma natural e consigo mesma, um despertar natural, de encontro com sensações do seu corpo, com prazer do toque em sua própria pele e conexão com a lua.


O momento é de tornar a energia sexual em energia criativa de vida, levando para o dia a dia, e se conectando com seu próprio feminino.




Como posso me conectar com a energia de Beltane.


  • O primeiro passo é olhar para sua sexualidade e perceber como ela se encontra, você tem um parceiro, compreenda como anda o dar e receber da relação e de que forma o encontro sexual vem os nutrindo.

  • Se você é uma amante sola, perceber sua sexualidade, como anda sua libido, se você se permite se tocar, se amar, fazer carinho em você mesma, ou se ainda acho que isso é um tabu, e você só pode receber amor vindo de um encontro?

  • Com essas perguntas sanadas, ative sua donzela, prepare uma noite de calor, fogo e prazer, com itens que seu parceiro goste e que você goste e ache sensual também, faça da noite de Beltane de vocês um lindo ritual de prazer. Se você é amante sola, faça o mesmo, porém para você mesma e o seu masculino interno, tente, mesmo que você ache engraçado ou sem sentido, preparar uma noite de amor para ti mesma, e depois verás...

  • Ofereça o sexo como uma oferenda a Deus e a Deusa, antes de começar a pratica, estabeleça quais são os objetivos da prática, o que voce ou vocês desejam alcançar, e então libere, relaxe e deixa acontecer …

  • Você pode tocar algum sino na manhã de Beltane e mentalizar a proteção e abundância para dentro de sua casa.






Os incensos, essências e óleo são.

rosas, patchouli, almíscar, melissa, hibisco e gerânio.

óleo de amêndoas e essência de almíscar, mirra, sangue de dragão.

Deusas e deuses do festival de beltane.


Maria Madalena, Afrodite, Psique, Aeval, Cliodhna, Grainne, Maeve e Y seult, na Irlanda; Blodewedd e Blatnat, no País Gales; Belisama, na Gália; Marian e Cordélia, na Bretanha; Matrornt, I1I lbéria; Grimhild, Minne e Walburg, na Alemanha e Freya, GeEjon, Hnor lngeborg, Lofua e Sjofn, na Escandinávia, Cernunnos, Frey, Fauno e Pano


Os animais totêmico.

Serpente


Direção e elemento.

Sul



Elemento

Fogo



Fase da lua

Crescente


Cores

Vermelho e branco


Altar de Beltane

Com bastante rosas, flores, lírios, vegetação da sua estação , troco de carvalho, leite, bolos, doces tudo que alegra o povo das fadas







Ritual de beltane


  • Vela vermelha e branca

  • Grimório

  • fita vermelha e branca

  • Sino



Para iniciar nosso ritual, vamos consagrar o espaço sagrado, acendendo um incenso de rosas e passando por todo o local onde acontecerá o ritual.


Acenda uma vela branca para seu masculino e uma vermelha para seu feminino e mentalize esse mantra “ Afrodite consagra meu espaço interno e meu espaço externo, agradeço e aceito por todo amor em minha vida e recebo todo prazer que é meu por direito “


Com o espaço consagrado, pegue o grimório ou um pedaço de papel e escreva 5 coisas que lhe dê prazer. Pense nestes itens como votos sagrados para seu masculino e feminino interno, se você pudesse escolher que algo nunca faltasse em sua vida, o que seria?



Agora medite, respire e escreva seus votos, a cada voto que você fizer, pegue a fita vermelha e a branca e de um nó com ela simbolizando o teu compromisso com cada voto.


Com seus votos escritos, deixe ele do seu lado e se prepare para fazermos uma meditação.


Coloque a fita vermelha e branca com os nó sobre o seu ventre.


Sentada, feche os olhos, coloque a coluna ereta, concentre-se no seu corpo, no músculo de cada órgão, na sua pele, e em todo o ar que circula internamente e a cada inspiração ganha mais espaço.


Visualize no topo da sua cabeça, uma flor de lótus com 1000 pétalas brancas cintilantes se abrindo e se une à inteligência divina, sinta-se acompanhada pela sua família Celeste. Visualize toda energia do sol central do universo, chegando através da sua lótus e indo direto ao seu ventre.


Iluminando seu órgão sexual com uma energia dourada, azul e rosa, sinta paz e conforto por receber os códigos binários no seu ventre.


Respire profundamente e sinta que a energia vem do topo da cabeça e de seu ventre direto para o seu coração. Formando uma Trindade Divina de pensar, sentir e agir.


Medite um pouco nesse caminho de luz que se formou dentro do seu corpo, veja que entra energia do topo da sua cabeça e do chakra raiz do seu ventre, e elas se encontram no seu coração.


Inspire e exale no seu coração conecte-se com coração da própria divindade que pulsa dentro de você com seu feminino e com seu masculino: sim tá todo o amor universal através do órgão que bombeia o sangue para todo o corpo e começa a se impregnar do amor Divino que sempre esteve disponível aí dentro para você.


Sinta-se amada preenchida sustentada pela divindade masculina e feminina que habita dentro de ti.


Respire mais uma vez profundamente, devagar se visualize, fechando a flor de lótus no topo da cabeça e sinta toda energia descendo para seu coração, abrindo um vortex de energia do centro do seu coração para fora, projetando então uma luz azul de poder, ação,proteção e amor o seu sagrado masculino.


Agora mentalize seus votos e amorosamente repita internamente, fazemos os votos com teu masculino.


Agradeça profundamente com sorriso interno, sinta alegria dentro do teu corpo com essa união sagrada da ação, proteção e realização que existe dentro de você.


Então traga seu masculino de volta para o teu coração, e visualize que a partir do centro do seu coração projeta a frente uma energia rosa dourada de amor, nutrição, acolhimento e sabedoria.


Mentalize seus votos sagrados e repita para o teu sagrado feminino, sinta felicidade de poder compartilhar com a tua divindade feminina os seus votos sagrados reafirmando para si mesma o que é necessário para você ser feliz. Preencha-se de amor com sorriso interno e traga de volta teu sagrado feminino para dentro do seu coração.


Coloque a mão direita no coração e a mão esquerda no teu ventre, e sinta a energia feminina e masculina habitando dentro de você a fusão do princípio da vida do amor encarnado aqui na terra por meio do teu próprio corpo.


Agradeça mentalmente por esse corpo e por essa oportunidade de equilíbrio do feminino e masculino dentro de ti.


Respire lentamente, devagar, vai retornando se abraçando e fazendo carinho no teu corpo.



Inspiração do Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur - Gary Cantrell - A deusa respira Sajaeva Hurtado)


Escrito por Claudiane Pires

Ostara

Lua crescente em Libra


6 visualizações